Revista interdisciplinaria de Internet

25 de enero de 2015

Educação inclusiva no Brasil: discursos e práticas de letramento

José Ribamar Batista Júnior & Denise Tamaê Borges Sato
Educação inclusiva no Brasil: discursos e práticas de letramento

Inclusive education in Brazil: discourses and literacy practices


Discurso & Sociedad, 2015 9(1, 2):201-221

Resumen


A inclusão da pessoa com deficiência no contexto educativo gerou transformações na escola e nas pessoas que transitam por esse ambiente. Centrada na atuação docente, a inclusão tem sido sentida diferentemente por professores/as, que ora a temem, ora se encantam. Essas mudanças se deram em consonância com as orientações estabelecidas na Conferência Educação para Todos, em Jomtien (1990) e na Declaração de Salamanca (1994), que preconizavam, principalmente, a ampliação da Educação Especial nos países em desenvolvimento. Ancorada na Análise de Discurso Crítica (Fairclough 2003) e nos Novos Estudos do Letramento (Barton, 2007), objetivamos investigar os discursos e as práticas de letramento no contexto da Educação Especial, tendo realizado a pesquisa etnográfica em quatro cidades brasileiras, no período de 2007 a 2013, com 30 professores/as. Os resultados apontam para uma prática educacional consolidando um ambiente de desvalorização da docência, pela privação de meios, recursos, acanhamento das políticas intersetoriais de apoio às famílias. Igualmente, a política de formação docente para a educação inclusiva vem contribuindo para uma prática escolarizada não emancipatória. Por outro lado, novos discursos emergem no contexto escolar (Discursos da inclusão, dos Direitos Humanos e da Família tradicional) que favorecem o convívio entre crianças e jovens da Educação Especial/Educação Regular, bem como a integração social de pessoas com deficiência em diferentes ambientes.

Palabras clave: Discurso, Letramento, Educação Inclusiva, Educação Especial.


Abstract


The inclusion of people with disability in the context of education in Brasil led to changes in school institutions and enviroments, and affected individuals involved in them. Highly focused on teaching performance, inclusion has been perceived differently by teachers, their feelings balancing between fear and delight. These changes have taken place in accordance with the guidelines established in the Education for All conference in Jomtien (1990) and the Salamanca Statement (1994), who mainly advocated the expansion of special education in developing countries. In the light of these policies, we aimed to investigate the discourses and practices of literacy in the context of special education. Framed by Critical Discourse Analysis (Fairclough, 2003) and the New Literacy Studies (Barton, 2007), ethnographic research was conducted in four Brazilian cities, in the period 2007-2013, involving 30 teachers. The results point to educational practices in an environment that underrates the value of teaching, by depriving teachers of means and resources, also configured by shy intersectorial family support policies. This is complemented by teacher training policies for inclusive education that have been con-tributing to non-emancipatory schooling practices. In the meantime, new discourses – discourses of inclusion, human rights and traditional family – emerge in the school context, that favor socialization between Special Education and Regular Education children and youth, as well as the social integration of people with disabilities in many contexts.

Keywords: Discourse, Literacy, Inclusive Education, Special Education.